Programa de Enoturismo - Boas Quintas

A empresa Boas Quintas tem mais de 25 anos de existência e encontra-se sediada na região demarcada do Dão, em Mortágua, na Quinta da Giesta. Será mais conhecida do público português por algumas das marcas que comercializa como a Fonte do Ouro, Herdade da Gâmbia, Morgado de Bucelas ou Quinta da Giesta. O grande responsável pelo projeto é um enólogo português que dispensa apresentações, com obra feita na grande maioria das regiões demarcadas portuguesas, Nuno Cancela de Abreu. A Boas Quintas tem neste momento implementado um excelente programa de enoturismo, que se predispõe a levar o visitante "da vinha até ao engarrafamento".

O CopoMeioCheio esteve em Mortágua no final de Janeiro para participar em primeira mão no novíssimo programa de enoturismo, e os resultados não podiam ser melhores. Desde a didática visita à vinha, para sentir o terroir da Quinta da Giesta, passando pelo espaço interior da adega, tudo se encontra encadeado num ambiente acolhedor, familiar, com tempo para perguntas e respostas e para conhecer de perto o projeto. Grande parte da responsabilidade da qualidade da visita pertence à nossa cicerone, Rita Mendes, profissional da empresa das áreas Comercial e Logística.

O ex-libris deste programa corresponde à entrada no laboratório da adega, onde o próprio Nuno Cancela de Abreu elabora os lotes dos vários vinhos comercializados. É aqui que os visitantes são convidados a elaborar o seu próprio vinho. Desde a prova inicial dos vinhos disponíveis para cada um elaborar o seu lote, até duas micro-experimentações em provetas de 100 ml, tudo culmina na elaboração de uma garrafa (750 ml) de uma edição absolutamente limitada, da qual só existe UMA garrafa! Rotulada, rolhada e encapsulada pelo próprio, uma experiência inesquecível e para degustar mais tarde.

Para finalizar este programa e como não poderia deixar de ser, o CopoMeioCheio participou numa prova de alguns dos vinhos da empresa, onde sobressaíram a amostra de barrica do Quinta da Fonte do Ouro Encruzado 2017, ou o Opta Grande Reserva ainda não comercializado e que está simplesmente fantástico, sem dúvida um vinho topo de gama. O dia ficou completo com um jantar na companhia da Rita Mendes, onde provámos a famosíssima Lampantana, prato típico de Mortágua, e claro acompanhado com os vinhos Boas Quintas.

Desafiamos todos os enófilos a deslocarem-se a Mortágua para participarem neste excelente programa de enoturismo. Será uma extraordinária recordação nas vossas memórias.

Agradecemos à empresa Boas Quintas a gentileza de nos ter convidado e recebido neste programa de enoturismo, e em especial à Rita Mendes por toda a sua disponibilidade e simpatia. Um grande bem-haja!













Adega Cooperativa de Penalva do Castelo Tinta Pinheira 2015

"A casta Rufete, também conhecida por Tinta Pinheira, é essencialmente cultivada nas regiões do Douro e do Dão, sobretudo nas sub-regiões de Pinhel, Figueira de Castelo Rodrigo e Cova da Beira. É uma casta produtiva e os seus cachos e bagos são de tamanho médio. É particularmente sensível ao oídio e ao míldio. Esta casta raramente produz vinhos de elevada qualidade, no entanto, se atingir o tempo de maturação ideal (sensivelmente no fim de Outubro) consegue produzir vinhos encorpados, aromáticos e capazes de permanecer muitos anos em garrafa. A casta Rufete só produz bons vinhos em microclimas específicos, como por exemplo o de Pinhel, por isso é utilizada, a maioria das vezes, na produção de vinhos de lote." (Fonte: Infovini)

Um vinho muito guloso, bem aromático, sedoso e fresco. Mostra um ótimo equilíbrio que o torna, a meu ver, num vinho que agradará a um largo espectro de consumidores. Com um preço a rondar os 7 euros (esta foi comprada diretamente ao produtor na Feira de Vinhos da FIL) é sem dúvida uma boa aposta, como quase toda a gama de vinhos deste produtor. Aconselho vivamente a experimentarem



Produtor: Adega Cooperativa de Penalva do Castelo
Castas: Tinta Pinheira
Preço: 7€ (preço estimado)
Região: Dão, Penalva do Castelo
UA-64594990-1